Jonathan Ayerst

Jonathan Ayerst

Piano

Jonathan Ayerst é o pianista principal do Remix Ensemble Casa da Música desde 2000, com o qual atuou em importantes festivais como Wien Modern (Áustria), Wittener Tage für Neue Kammermusik, Donaueschinger Musiktage (Alemanha), Musica de Estrasburgo, IRCAM de Paris e Huddersfield Contemporary Music Festival (Reino Unido). Trabalhou com os maestros Peter Rundel, Emilio Pomàrico, Reinbert de Leeuw, Heinz Holliger, Peter Eötvös e Jörg Widmann; apresentando obras a solo e concertos tais como o Concerto para piano e orquestra de Beat Furrer, Oiseaux Exotiques de Olivier Messiaen, Klaviervariationen op. 27 de Anton Webern e Kammerkonzert de Alban Berg. Mais recentemente, tocou o concerto para piano Islands, de Luca Francesconi, na Tonhalle de Zurique; …quasi una Fantasia… op. 27 n.º 1 de György Kurtág na Philharmonie de Colónia; e Points on the curve to find de Luciano Berio na Casa da Música do Porto. Foi convidado para interpretar uma série de filmes celebrativos do 10.º aniversário da Casa da Música: “Postais Musicais” — miniaturas para piano solo encomendadas a compositores como Magnus Lindberg, Wolfgang Mitterer, James Dillon, Unsuk Chin, Bruno Mantovani, Pascal Dusapin e outros.

Paralelamente, Jonathan Ayerst conquistou reputação internacional como organista de concerto e improvisador. Após ser nomeado Fellow of the Royal College of Organists (Reino Unido), iniciou um Doutoramento na Universidade de Sheffield. A sua tese Learning to improvise as a Western classical musician: a psychological self-study foi concluída em 2021; um estudo que incluiu aulas de improvisação barroca com Jürgen Essl na Hochschule für Musik und Darstellende Kunst, em Estugarda. Como resultado, desde 2018 tem dado cada vez mais recitais que incluem improvisações em vários estilos clássicos, além de workshops que apresentam técnicas de improvisação a músicos com formação clássica, através de uma mistura de psicologia, filosofia e análise musical. Em 2020-21, filmou um ciclo de recitais de órgão na Casa da Música (Porto), cada um centrado numa improvisação barroca (incluindo uma fuga improvisada sobre uma obra inacabada de J. S. Bach, a Fantasie e Fuga em Dó menor, BWV 562). Em 2021 apresentou-se no Festival Internacional de Órgão em Santarém e na Temporada de Música de São Roque em Lisboa. Realiza cinco recitais em Portugal que combinam música coral com improvisações ao órgão, ao lado do ensemble vocal português Capella Duriensis, ao longo da temporada 2021-22. 

2022

Imagem Indisponível