Workshops

Primeiros Sons, Sons para Todos, Semanas Especiais, Sexta Maior, Músico por um dia, Música em Família.

  • Primeiros Sons

    Um consultório no meio da selva, um estúdio de cinema que recupera o Porto de Aniki-Bobó. Ou dedos que brincam com teclas, contos infantis que se diluem em canções. A música e seus elementos são a matéria a explorar, com jogos e situações teatralizadas, em quatro workshops para a primeira infância.

    Realizadas em ambientes visualmente apelativos, povoados de estórias e mimo, estas oficinas fazem-se com liberdade para mexer. Pela experimentação, e através de metodologias distintas, crianças até aos 6 anos trabalham as primeiras bases da realização musical. E tudo acontece à sua medida: cada sessão é adaptada à capacidade cognitiva do grupo participante, havendo formatos diferenciados para as faixas etárias dos 0-23 meses, 2-3 anos e 4-6 anos.

  • Sons para Todos

    A diversidade plasma-se num conjunto de oficinas que permitem experiências imediatas de criação musical. Umas chegam-se ao teatro, com personagens a comandar as sessões, outras estão estruturadas como jogos. Entre elas pode haver danças, a expressão corporal, a exploração de instrumentos convencionais ou incomuns. Moldam-se em repertórios tradicionais e clássicos ou na improvisação tecnológica. Fazem, enfim, valer muitos caminhos na descoberta activa da música. Realizados de Outubro a Maio, os Sons para Todos são dirigidos (e adaptados) a grupos específicos, criando um arco geracional que começa nos 3 anos, com crianças integradas em turmas do pré-escolar, e chega às comunidades seniores.

    Diz-se que o tempo é o que fazemos com ele. Nestes workshops, uma hora é o necessário para se criar algo efectivo, positivo e estimulante. Nasce a vontade de fazer mais.

     

     

     

  • Sexta Maior

    Primeiro cria-se, depois apresenta-se. A sexta-feira fica maior quando o workshop ocupa a manhã (10h00-12h30) e culmina numa pequena performance, servida antes do almoço. Partindo de um programa predefinido, aberto ao improviso e às ideias dos participantes, decorrem processos de realização musical mais profundos – e bons de ouvir no final.

    Cantar, percutir com o corpo ou criar orquestras com os mais diversos instrumentos dão conteúdo a oficinas que estimulam a criatividade e a coesão de grupo, destinadas a turmas do ensino básico (a partir do 3.º ano), secundário e escolas vocacionais de música.

  • Músico por um dia

    Venha e desfrute. A partir dos 12 anos, todos podem participar em oficinas que, valendo-se de processos acessíveis e criativos, surgem da simples vontade de fazer música em contexto de grupo. Balizadas pela interacção e a boa disposição, decorrem ao longo de um sábado – começam de manhã e encerram ao final da tarde com uma apresentação pública do trabalho realizado. Pelo meio, acontece o que o grupo quiser: com a prestação dos vários participantes, tenham ou não competências formais de música, desenvolvem-se registos originais ao encontro de três desafios: a formação de um coro, a celebração do Carnaval ou a concepção de instrumentos com objectos reciclados.

  • Música em Família

    Traga os familiares ou junte os amigos. Há cumplicidades geradas nestas oficinas de realização musical, acessíveis a qualquer pessoa, de crianças com mais de 6 anos a seniores. Realizam-se em quatro sábados, em que ao longo de 90 minutos, as relações de proximidade e convívio ditam actividades em que os afectos se misturam com o prazer de cantar, encontrar os instrumentos de uma orquestra ou explorar a percussão. A única condição é que venha com vontade de gozar momentos criativos – e sempre em boa companhia.